Carregando ...
CIÊNCIA,  TECNOLOGIA

CIENTISTAS CONSEGUEM PELA PRIMEIRA VEZ LEVITAR E ESTABILIZAR OBJETO USANDO APENAS O SOM

Cientistas da Universidade de Bristol, no Reino Unido, demonstraram pela primeira vez que é possível prender com estabilidade objetos maiores que o comprimento de onda do som em um raio trator acústico. A descoberta foi publicada no periódico Physical Review Letters.

Cientistas usam ultrassom para fazer cérebro de paciente em coma “pegar no tranco”

Até o momento, acreditava-se que isso era impossível, já que tentativas anteriores de prender partículas maiores que o comprimento de onda tiveram resultados instáveis, com os objetos girando descontroladamente. Isso acontece porque o campo de som rotativo transfere alguns dos seus movimentos giratórios para os objetos, fazendo com que eles orbitem cada vez mais rápido até serem ejetados.

Como, ao contrário da levitação magnética, a levitação acústica pode sustentar a maioria dos sólidos e líquidos, a descoberta abre as portas para o transporte sem embalagens de amostras delicadas. No futuro, com equipamentos mais potentes, ela pode até mesmo acabar sendo o primeiro passo no caminho para a levitação de humanos.

 

Controlando as rotações

O novo estudo usa vórtices acústicos que flutuam rapidamente, similares a furacões de som, feitos em uma estrutura com um núcleo silencioso rodeado por um som alto. Os cientistas descobriram que a taxa de rotação pode ser precisamente controlada mudando rapidamente a direção giratória dos vórtices, estabilizando o raio trator. Com isso, puderam ampliar o tamanho do núcleo silencioso para segurar objetos maiores.

Com ondas ultrassônicas de 40kHz, um tom semelhante ao que apenas os morcegos podem ouvir, os pesquisadores mantiveram uma esfera de poliestireno de dois centímetros – mais de duas ondas de comprimento – no raio trator. Os resultados sugerem que, no futuro, o mesmo poderá ser feito com objetos muito maiores.

Raio trator sonoro pode levantar e mover objetos

“Raios tratores acústicos têm um potencial enorme para muitas aplicações”, afirmou em comunicado à imprensa o supervisor da pesquisa, Bruce Drinkwater, professor de ultrasônica do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Bristol. “Estou particularmente animado com a ideia de linhas de produção sem contato, em que objetos delicados são montados sem que sejam tocados”. Um exemplo desse tipo de aplicação é a manipulação sem contato de cápsulas de medicamentos ou implantes micro-cirúrgicos.

 

fonte: Por Jéssica Maes Universidade de Bristol, Science Daily

Deixe um comentário