Carregando ...
// fim da pagina do centovacast
BIOGRAFIA,  NOTICIAS

DMX e outros rappers que tiveram finais trágicos

Eazy-E (esq.), DMX (centro) e Nispey Hussle (dir.) foram alguns rappers a ter mortes trágicas (Foto: Al Pereira/Michael Ochs Archives/Getty Images; Mark Davis/Getty Images for Coachella; Dimitrios Kambouris/Getty Images for Diamond Ball)

Uma semana após sofrer uma parada cardíaca, o rapper DMX morreu aos 50 anos, em Nova York. A notícia, acompanhada de sua luta contra o vício de drogas, lembra como o rap tem sido palco para mortes trágicas de seus ídolos. Aqui.

Snoop Dogg, Eminem, DMX – Rest In Peace ft. Dr. Dre, Method Man

Eazy-E

Eazy-E, ex-NWA, posa ao lado de fã em 1993 (Foto: Lester Cohen)

Aos 30 anos de idade, o rapper Eric Lynn Wright — mais conhecido como Eazy-E, membro do grupo N.W.A — morreu com um quadro de pneumonia associado ao vírus da Aids. Sua morte veio poucas semanas depois do diagnóstico, em 1995, ligado por muitos ao seu estilo mulherengo, com várias namoradas ao mesmo tempo. Porém, como os anos 90 foram um período muito violento para o “gangsta rap”, há muita controvérsia sobre sua morte. O próprio filho do artista, Yung Eazy, acredita que a infecção do pai foi algo provocado pelo produtor Suge Knight, desafeto de Eazy-E com longo histórico de violência.
O que fortaleceu a teoria foi uma entrevista de Knight em 2003, logo após sair da prisão. Ao programa “Jimmy Kimmel Live”, ele afirmou: “Crianças, vocês não querem ir para a cadeia para sempre, certo? Então, eles lançaram essa coisa nova, as pessoas os vendem o tempo todo. Eles tiram sangue de alguém com Aids – e então eles atiram em você com isso. Essa é a morte lenta”.

Ol ‘Dirty Bastard

Ol ‘Dirty Bastard, fundador do Wu Tang Clan morto em 2004 (Foto: Al Pereira/Michael Ochs Archives/Getty Images)

Em 2004, Ol ‘Dirty Bastard, um dos fundadores do Wu Tang Clan, morreu por um ataque cardíaco decorrente de uma overdose de analgésicos e cocaína. Russell Tyrone Jones tinha 35 anos e três indicações ao Grammy, sendo duas de melhor álbum com o grupo, e uma por Melhor Performance de Rap em Dupla.

Nipsey Hussle

Nipsey Hussle, rapper morto em 2019 (Foto: Matt Winkelmeyer/Getty Images for Warner Music)

Ermias Davidson Asghedom, o rapper Nipsey Hussle, de 33 anos, foi assassinado em 2019 próximo à sua loja de roupas em Los Angeles, com ao menos dez tiros de pistola. O acusado pelo crime é um membro de uma gangue da qual Nipsey fez parte. Segundo relatos, o rapper tentava avisar o companheiro de bairro que vinha ganhando uma fama de “dedo duro”.

Pai de duas crianças, Emani de 11 anos e Kroos de quatro, o artista era conhecido por tentar revitalizar o bairro em que cresceu, oferecendo alternativas para a juventude longe do caminho que ele escolheu um dia: o crime. Seu último tuíte em vida foi publicado em 31 de março de 2019, dia de sua morte, dizendo: “Ter inimigos fortes é uma benção”.

No Grammy daquele ano, o artista foi indicado para Melhor Álbum de Rap, com seu trabalho de estreia, “Victory Lap”. Já no ano seguinte, venceu dois prêmios póstumos na premiação: Melhor Performance de Rap cantado, por “Higher”; e Melhor Performance de Rap, por “Racks in the Middle”.

J Dilla

J Dilla, produtor e rapper morto em 2006 (Foto: Divulgação)

Produzindo trabalhos de Janet Jackson, De La Soul, A Tribe Called Quest, Erykah Badu, Talib Kweli e Common, entre outros, J Dilla se consolidou como um forte nome na indústria do rap. Além de produtor, fundou o grupo Slum Village, onde colaborou até sua morte precoce, aos 32 anos.

A morte em 2006 veio após anos lidando com o lúpus, doença em que o sistema imunológico ataca seus próprios tecidos; e a PTT (púrpura trombocitopênica trombótica), uma raça doença no sangue que causa pequenos trombos nos vasos sanguíneos. Em dos seus últimos shows, o artista se apresentou com uma cadeira de rodas.

Juice WRLD

Juice WRLD, rapper morto aos 20 anos em 2019 (Foto: David Wolff – Patrick/Redferns)

Aos 21 anos, Jarad Higgins, o Juice WRLD, morreu após overdose acidental com fortes analgésicos, acompanhada de convulsões. Conhecido pelo hit “Lucid Dreams”, com mais de 1 bilhão de visualizações no Spotify, o artista colaborou com Nicki Minaj, Travis Scott e BTS, antes da morte em 2019.

publicação gentilmente cedida por GQ

Deixe uma resposta